Redes Sociais:

RSS:

App:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:
Rádio Vaticano

Home / Ecumenismo

Papa Francisco abençoará iniciativa ecumênica com Igreja Ortodoxa


Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco receberá em audiência neste sábado os membros do Comitê de Colaboração Cultural com as Igrejas Ortodoxas e as Igrejas Ortodoxas Orientais, que celebra o 50º aniversário da sua instituição, ocorrida em 27 de julho de 1964, com uma Carta do Papa Paulo VI ao Cardeal Agostino Bea, então Presidente do Secretariado para a Unidade dos Cristãos, que mais tarde transformou-se no Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. O encontro adquire particular significado após o anúncio do encontro em maio próximo, em Jerusalém, com o Patriarca Ecumênico Bartolomeu I, 50 anos após o histórico encontro entre Paulo VI e Atenágoras.

O Comitê tem por objetivo a distribuição de bolsas de estudo a estudantes ortodoxos de teologia, alunos das Universidades Pontifícias. Ao distribuir estas bolsas de estudo a estudantes ortodoxos, o Comitê deseja “promover um sincero conhecimento de uma compreensão recíproca, baseada no respeito e na caridade de uns para com os outros” e ao mesmo tempo “incentivar as iniciativas voltadas ao restabelecimento de vínculos fraternos entre a Igreja Católica e as veneráveis Igrejas do Oriente”.

Os membros do Comitê serão guiados pelo Cardeal Kurt Koch, na qualidade de Presidente de Gestão do Comitê - que compreende os principais benfeitores -, acompanhados pelos estudantes bolsistas atualmente em Roma.

A abertura a uma possível revisão das modalidades de atuação do Primado Petrino confirmada por Francisco na ‘Evangelii guadium’ com palavras análogas àquelas de João Paulo II na ‘Ut unum sint’, suscitou esperanças no mundo ortodoxo, como afirmou o Patriarca de Moscou e de todas as Russias, Kirill, recebendo no início de dezembro o Cardeal Kurt Koch, Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, não obstante tenha afirmado numa declaração a “impossibilidade de aceitar qualquer primado do Pontífice Romano que não fosse apenas de honra”.

O Patriarca Kirill usufrui de uma destas bolsas de estudo para formar-se na Gregoriana. (JE)