Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:
Rádio Vaticano

Home / Caridade e solidariedade

IGREJA CATÓLICA ALEMÃ INDENIZA 594 ESCRAVOS DO NAZISMO


Berlim, 31 ago (RV) - A Igreja Católica na Alemanha indenizou, com uma quantia simbólica de € 2.556,00 cada um, 594 trabalhadores forçados e estrangeiros que se viram obrigados a trabalhar nas 27 dioceses do país, durante o III Reich, sob a tirania de Adolf Hitler.

O Presidente da Conferência Episcopal Alemã, Cardeal Karl Lehmann, e o Presidente da Caritas-Alemanha, Dom Peter Neher, fizeram hoje, em Mainz, um balanço do fundo de indenizações para os trabalhadores forçados do Nazismo, criado pela Igreja Católica no país.

Enquanto a Igreja Evangélica Alemã preferiu contribuir com o fundo criado pelas companhias alemãs, para indenizar os trabalhadores forçados, a Conferência Episcopal Alemã criou, em agosto de 2000, um fundo próprio, depois que ficou demonstrado que a instituição usou escravos do Nazismo em algumas paróquias alemãs.

O Cardeal Karl Lehmann assegurou hoje, que o pagamento dessa indenização aos escravos do Nazismo significa "um gesto de desculpas e de reconciliação, que tem um grande significado para as pessoas afetadas".

O Presidente dos bispos alemães precisou que, até agora, foi pago um valor de 1,49 milhões de euros dos 2,5 milhões que compõem o fundo de indenizações da Igreja Católica alemã.

A maior parte das 594 pessoas que receberam a indenização da Igreja Católica são originárias da Polônia (289) e da Ucrânia (150).

A Igreja Católica alemã destinou também 2,5 milhões de euros do chamado "fundo de reconciliação" para financiar 175 projetos no leste europeu. (MZ)