Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Igreja \ Igreja no Brasil

D. Murilo Krieger: Falar com os jovens, mas principalmente ouvi-los!"

Jovens são os primeiros apóstolos da juventude - OSS_ROM

09/11/2017 11:00

Cidade do Vaticano (RV) - A  Igreja no Brasil vai celebrar, no período de 26 de novembro de 2017, Solenidade de Cristo Rei, até 25 de novembro de 2018, o “Ano do Laicato”.  

O tema escolhido para animar a mística do Ano do Laicato é: “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino” e o lema: “Sal da Terra e Luz do Mundo”.

O bispo de Caçador (SC), Dom Severino Clasen, é o Presidente da Comissão Episcopal Especial para o Ano do Laicato. Segundo ele, será feito um trabalho com a mística do apaixonamento e seguimento de Jesus Cristo. “Isto leva o cristão leigo a tornar-se, de fato, um missionário na família e no trabalho, onde estiver vivendo”, a seu ver.

Do mesmo modo, para o Arcebispo de Salvador e Vice-presidente da CNBB, Dom Murilo Krieger, o leigo católico não pode recuar, mas assumir o seu envolvimento em campos como a política, a sociedade e a economia. Ouça aqui:

“A ideia é que o leigo tome consciência de sua responsabilidade pelo batismo. Penso que ainda não conseguimos fazer que ele sinta isso. Penso que os leigos tem um poder e uma graça que ainda não estão usando devidamente. A nossa ideia é que haja uma maior participação no mundo da política. Há falta de líderes conscientes que pelo Evangelho, lutem em prol de algumas causas nos mundos da economia, dos meios de comunicação... Vemos que há um campo imenso de trabalho, e já o Concílio Vaticano II havia alertado para isso”.

O Ano do Laicato terá como objetivo geral: “Como Igreja, Povo de Deus, celebrar a presença e a organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil; aprofundar a sua identidade, vocação, espiritualidade e missão; e testemunhar Jesus Cristo e seu Reino na sociedade”. E o papel protagonista dos jovens? Dom Murilo responde:

“Foram dados passos importantes na medida de procurar escutar os jovens, porque eles têm muito a nos dizer. Facilmente nós falamos para eles, sem escutá-los devidamente. Foram feitas consultas (para o Sínodo) nas dioceses, agora os textos estão sendo unificados, buscando uma concatenação de ideias. Esta Assembleia que vai haver em março do ano que vem será a voz do mundo todo. Como fazer com que os jovens usem a linguagem, e as redes sociais, para evangelizar outros jovens? Os jovens são os primeiros e os imediatos apóstolos da Juventude”.

 

09/11/2017 11:00