Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Viagens

Bangladesh prepara-se para viagem do Papa

Logotipo da viagem do Papa a Bangladesh - RV

06/11/2017 10:03

Daca (RV) – Em Bangladesh, são intensos os preparativos para a iminente visita do Papa Francisco, de 30 de novembro a 2 de dezembro do corrente.

O Cardeal Patrick D’Rozario, Arcebispo da capital, explicou à Agência Asianews que “todos os católicos estão envolvidos neste grande acontecimento”, inscrevendo-se nos eventos, participando na organização dos encontros e do transporte que levará os fiéis aos locais onde estará o Papa, além de intensa preparação espiritual nas paróquias.

Desde o início o Cardeal D’Rozario deu importância à esta preparação espiritual dos fiéis, sublinhando que “o Papa chegará em Bangladesh como peregrino, e é por isto que os fiéis locais estão vivendo a espera como uma forma de peregrinação”.

Em particular, o purpurado recomendou a cada paróquia organizar a oração comunitária do Terço, oferecer uma Missa, observar um momento de Adoração em comum e um dia de jejum. Cada comunidade local, no entanto, decidirá os tempos desta preparação, com base na disponibilidade e exigências particulares.

A organização dos eventos foi confiada a um Comitê Central. O Cardeal escolheu pessoalmente os responsáveis, buscando elementos de unidade que possam dar atenção ao aspecto espiritual da visita.

Em nível local – acrescenta o Arcebispo de Daca – “20 Comitês estão em plena atividade, cada um deles sendo formado por 20-25 pessoas. Depois, existem outros oito Comitês diocesanos, que estão recebendo os pedidos de inscrição por parte das paróquias”.

Em relação ao programa da viagem, o Cardeal D’Rozario frisa em particular, cinco eventos: “A missa no Suhrawarddy Udyan Park, onde são esperados até 100 mil católicos e 10 mil fiéis de outras denominações cristãs; a visita à Catedral de Daca, em que estarão presentes cerca de 800 pessoas entre leigos, altos funcionários, benfeitores estrangeiros; o encontro inter-religioso e ecumênico pela paz – no qual se pronunciarão expoentes de quatro religiões: cristianismo, islamismo, hinduísmo e budismo – num total de cinco mil pessoas; o encontro com os jovens de todas as religiões, para o qual são esperadas 10 mil pessoas; e por fim o encontro com os cerca de 1.500 religiosos, sacerdotes e seminaristas”.

O purpurado conta que “há uma grande expectativa no país, até mesmo por parte da mídia secular, que se interessou pelo evento e tem intenção de transmiti-lo ao vivo nos canais de televisão”.

“Muitos esperam – acrescenta o purpurado – que o Papa se pronuncie sobre a questão dos refugiados Rohingya, que nos últimos tempos tem interessado tanto a Bangladesh como a Myanmar”, onde o Pontífice estará de 26 a 30 de novembro.

Em cada paróquia está em andamento a fase das inscrição das pessoas interessadas em participar dos eventos. Os nomes, depois, são enviados ao Comitê Central, que se certifica de que sejam pessoas conhecidas.

O Cardeal D’Rozario comenta: “Por ocasião de visita de um Chefe de Estado como o Papa, a segurança é confiada às forças locais, que já preveem um reforço na segurança. Não acredito, porém, que serão empregados outros agentes, além daqueles já previstos”. (JE/Asianews)

06/11/2017 10:03