Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Igreja \ Igreja no mundo

Líbano: Cardeal Raï, é hora que sírios e palestinos voltem para suas casas

Campo de deslocados no norte do Líbano - ANSA

31/10/2017 18:30

Beirute (RV) - “O Líbano corre grande perigo nos âmbitos político, econômico, demográfico e cultural por causa da presença de refugiados sírios e palestinos. Eles juntos formam a metade da população libanesa. Foram acolhidos porque estavam em perigo, mas agora devem voltar para suas pátrias.”

Foi o que disse o Patriarca de Antioquia dos Maronitas, Cardeal Béchara Boutros Raï, numa entrevista ao jornal libanês “L’Orient Le Jour”, ao retornar de uma visita aos Estados Unidos, onde participou da quarta edição do congresso “Em defesa dos cristãos” (In Defense of Christians).

As situações dos deslocados sírios e dos cristãos no Oriente Médio foram os temas centrais abordados durante a entrevista, segundo Asianews.

“Sírios e palestinos causaram um aumento da população libanesa de 4 a 6 milhões. Por que o Líbano com os seus dez mil quilômetros quadrados de montanhas e vales deve sobrecarregar-se de um aumento do número de habitantes equivalente à metade de sua população?”

O Cardeal Raï sublinhou que “os libaneses migram por falta de trabalho. Na realidade, isso é um grande perigo não somente no campo econômico, mas também político, demográfico, cultural, no âmbito da segurança e do ambiente”. “O Líbano acolheu os exilados com espírito de solidariedade, mas não pode se sacrificar dessa maneira. É hora que voltem para suas casas. O fardo é muito pesado para nós”, disse ainda o Patriarca.

Sobre a situação dos cristãos no Oriente Médio, o Cardeal Raï afirmou que “às vezes houve perseguições, mesmo não existindo um movimento de perseguição e genocídio, mas através de eventos, uma agressão aqui e perseguições acolá ”.

“Todos dizem que é preciso salvar a presença dos cristãos. Coloquemos fim à guerra e estabeleçamos uma paz justa, duradoura e global. Somos justos, corajosos e dizemos que aqueles que tiveram de abandonar suas terras podem voltar, mas não ouvimos isso. Notamos somente um sentimento de piedade quando os cristãos são agredidos e perseguidos. Isso não basta! É impossível ir adiante na situação em que estamos no Oriente Médio.”

O Patriarca afirmou que é preciso distinguir de um lado o Islã e de outro os integralistas, os fundamentalistas e os terroristas que causam destruição em nome do Islã.

“A experiência nos ensinou a viver com os muçulmanos e obter sua simpatia. Com essas guerras somos grandes perdedores. Se perdermos a moderação muçulmana correremos o risco de nutrir o fundamentalismo e o terrorismo. Se a comunidade internacional não se esforça para ajudar os deslocados e refugiados a voltar para suas pátrias, eles serão um terreno fértil para os movimentos e organizações terroristas”, concluiu o Patriarca Raï.

(MJ)

 

 

 

31/10/2017 18:30