Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Vaticano \ Eventos

Card. Schönborn: o Evangelho não muda, nós devemos mudar

"O Evangelho não muda. Nós, nós devemos mudar" - REUTERS

12/10/2017 18:00

Cidade do Vaticano (RV) – Na solene comemoração de quarta-feira na Sala Nova do Sínodo pelo 25º aniversário da assinatura da Constituição apostólica Fidei Depositum de São João Paulo II, que marcou a publicação do Catecismo da Igreja Católica, pronunciou-se o Cardeal Christoph Schonborn, que na época era o Secretário da Comissão dos Bispos e Cardeais, encarregado da redação do Catecismo.

A Rádio Vaticano perguntou ao purpurado austríaco quais as recordações daquela experiência:

“Simplesmente, provavelmente foi a coisa mais importante da minha vida: estes cinco anos, de 1987 até 1992, como secretário de redação. Uma experiência fantástica de trabalho, de comunhão, mas antes de tudo, de fé, porque o desafio era o de apresentar a fé católica não em partes, mas em uma síntese orgânica, como em uma sinfonia. E trabalhar nesta grande obra sob a guia do então Cardeal Ratzinger foi um grande, grande privilégio, uma belíssima experiência, também intensa”.

RV: Por que, na sua opinião, passados 25 anos, foi necessário redigir um novo comentário teológico para esta nova edição? A Igreja mudou?

“Não, a Igreja não muda, a Igreja caminha, mas a Igreja permanece a Igreja de Jesus Cristo. O Evangelho não muda. Nós, nós devemos mudar. Veja, este Catecismo tem somente 25 anos de vida. Aquele precedente tinha 400 de vida, aquele do Concílio de Trento. Assim, eu espero, eu penso, que este Catecismo esteja no início de sua obra pela Igreja”.

RV: Para o senhor, homem de Igreja, de que forma enriquece ler novamente o Catecismo? Sempre se descobre algo de novo?

“Sim, porque a fé é de tal forma rica, que sempre se descobrem novas coisas que antes não haviam sido experimentadas, conhecidas, vividas.  Portanto, eu penso que o Catecismo é uma fonte para a vida cristã. E eu espero que muito fiéis – homens, mulheres, jovens, adultos – possam caminhar com o Catecismo, fazendo a experiência da beleza da fé, mas também descobrir, por exemplo, a importância do mistério da Trindade, da Criação, da Redenção, o que significa. E por tudo isto, o Catecismo é um instrumento extraordinário”. (JE/BC)

12/10/2017 18:00