Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Igreja \ Igreja no mundo

Santuário de Emaús: nasce fraternidade entre os filhos espirituais de São Francisco

Frade franciscano caminha na Cidade Velha de Jerusalém - EPA

09/10/2017 08:25

Jerusalém (RV) - Segundo a narrativa dos Evangelhos, os discípulos de Emaús eram incapazes de reconhecer a ressurreição de Jesus, mas o Senhor os acompanhou no caminho para dar novamente a eles a esperança e tornar os seus olhos capazes de reconhecê-lo ao partir o pão.

"É o que pode acontecer a nós se o convidarmos para estar conosco", sublinhou o Custódio da Terra Santa, Padre Francesco Patton, ao explicar o significado do nascimento - justamente em Emmaus Al-Qubeibeh, a poucos quilômetros de Jerusalém - de uma fraternidade  "interobediential" entre os filhos espirituais de São Francisco.

Formada por frades menores e menores conventuais, a nova comunidade foi apresentada nos dias passados - como informa o site da Custódia da Terra Santa - durante uma missa celebrada na festa de São Simão e Cleófas, os dois discípulos de Emaús.

Padre Patton explicou durante a homilia o particular significado adquirido em 2017 pela festa dos dois discípulos, pois marca os 150 anos da presença franciscana em Emaús. Uma recorrência que deu impulso ao nascimento desta nova fraternidade, que se dedicará sobretudo à acolhida dos freis que quiserem passar juntos no Santuário um período de oração, reflexão e formação.

"Trata-se sobretudo - acrescentou - de um testemunho de comunhão, depois de 150 anos daquele evento doloroso que foi a divisão da nossa Ordem em 1517. Será uma graça para os frades que virão aqui, se entrarem no espírito deste lugar, se entrarem no espírito dos discípulos de Emaús".

A mesma visão é compartilhada pelo Vigário Geral dos Frades menores conventuais, Padre Jerzy Norel, ao obser que "a comunidade de Emaús nasce no signo da comunhão franciscana: viver juntos, habitar a mesma terra, acolher os outros para que vivam a comunhão".

Também o Vigário Geral dos Frades menores, Padre Júlio César Bunader, falou da nova fraternidade, inserindo-a em uma nova perspectiva: "Há 500 anos do aniversário da Bula Ite vos, queríamos dar passos juntos, em nível de vida, fraternidade e missão".

Grande alegria foi expressa ainda pelo guardião da fraternidade de Emaús, Padre Salem: "Como dizia São Francisco, cada frei é um dom do Senhor. Assim para nós, os frades que virão para habitar no convento são um dom".

(JE - L'Osservatore Romano)

09/10/2017 08:25