Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Encontros e Eventos

A resposta do Papa aos críticos da 'Amoris Laetitia'

Amoris Laetitia é a Exortação Apostolica publicada após 2 Sínodos sobre a Família - ANSA

29/09/2017 13:47

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco explicou que as críticas provenientes de alguns setores à sua exortação apostólica pós-sinodal, “Amoris Laetitia” são respeitáveis, mas equivocadas.

A afirmação foi feita no encontro realizado com alguns jesuítas durante a sua recente viagem à Colômbia e publicada quinta-feira (28/09) pela revista da Companhia de Jesus “Civiltà Cattolica”.

Na primeira declaração de Francisco sobre o assunto, o Papa disse aos jesuítas colombianos que para entender Amoris Laetitia, é preciso lê-la do começo ao fim: “Comece com o primeiro capítulo, continue pelo segundo e assim por diante, e reflita. Leia o que foi dito no Sínodo”.

“Aproveito a oportunidade para dizer uma coisa que eu acho que devo dizer, na justiça e também na caridade, porque ouço muitos comentários - respeitosos porque são ditos por filhos de Deus, mas equivocados - sobre a Exortação Apostólica pós-sinodal”, disse Francisco em resposta a uma pergunta dos jesuítas.

Francisco reafirmou claramente que a moralidade de 'Amoris Laetitia' é tomista, do grande Santo Tomás. “Você pode falar disso com um grande teólogo, entre os melhores de hoje e entre os mais maduros, o Cardeal Christoph Schönborn”.

Na semana passada, cerca de sessenta historiadores, teólogos e sacerdotes divulgaram um documento em que assinalavam sete possíveis "heresias" contidas na "Amoris Laetitia" e pediram ao Papa uma revisão do documento.

O texto, de 25 páginas e intitulado "Correction filiales de haeresibus propagagatis" (Correção filial em relação à propagação de heresias), teria sido enviado ao Pontífice no último dia 11 de agosto e publicado em um site para a coleta de assinaturas. 

(cm)

29/09/2017 13:47