Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Especiais \ Memória Histórica

Presenças de Cristo na Liturgia da Igreja

Cristo está presente de diversas formas na celebração eucarística

27/09/2017 09:14

Cidade do Vaticano (RV) - No nosso espaço Memória Histórica, 50 anos do Concílio Vaticano II, vamos  continuar a falar no programa de hoje sobre a renovação litúrgica trazida pelo Concílio.

Dentro da renovação litúrgica trazida com o Concílio Vaticano II, abordamos nos programas passados o tema da renovação da liturgia eucarística a partir da aclamação pós-conciliar que foi introduzida na liturgia depois da consagração: “Eis o mistério de nossa fé! Anunciamos Senhor a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde Senhor Jesus”.

No programa de hoje, Padre Gerson Schmidt, incardinado na Arquidiocese de Porto Alegre e que tem nos acompanhado neste percurso, nos fala sobre as cinco maneiras de Cristo estar presente na celebração eucarística:

“A Constituição Sacrossanctum Concilium, sobre a renovação da Liturgia, em seu n. 7, assim se expressa sobre as cinco formas de presença de Cristo na ação litúrgica. São CINCO as maneiras de Cristo estar presente na celebração eucarística, segundo a SC: “Cristo está sempre presente na sua Igreja, especialmente nas ações litúrgicas. Está presente no sacrifício da Missa, quer na pessoa do ministro – ‘O que se oferece agora pelo ministério sacerdotal é o mesmo que se ofereceu na Cruz’ – quer e, sobretudo, sob as espécies eucarísticas. Está presente com o seu dinamismo nos Sacramentos, de modo que, quando alguém batiza, é o próprio Cristo que batiza. Está presente na sua palavra, pois é Ele que fala ao ser lida na Igreja a Sagrada Escritura. Está presente, enfim, quando a Igreja reza e canta, Ele que prometeu: ‘Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, Eu estou no meio deles (Mt 18,20)”.

Vamos comentar então e deixar mais claro, ao ouvinte, essas cinco formas de Cristo estar presente na celebração eucarística:

1. Presente Cristo pelo ministro que celebra – o sacerdote que preside a celebração faz as vezes de Cristo, age “in persona Cristhi” – na pessoa de Cristo. Portanto, presente o ministro, presente o próprio Cristo. Cristo disse: “quem vos acolhe, a mim acolhe; quem vos rejeita, a mim rejeita” (Mt 10,40).

2. Presente Cristo nas espécies eucarísticas – Tomai e comei todos vós – isto é meu corpo; tomai e bebei – isto é meu sangue. Pela transubstanciação, Cristo se faz presente de maneira “real, verdadeira e substancial” – palavras exatas como foi a definição do concilio de Trento – diante de tantas controvérsias luteranas.

3. Presente Cristo nos sacramentos – A Eucaristia como tal, por ser um sacramento – traduzido como sinal visível e eficaz do amor de Deus – realiza o que significa, atualiza o mistério pascal da salvação e presença do ressuscitado na ação litúrgica.

4. Presente Cristo na sua Palavra – A Palavra proclamada em assembleia tem uma força especial, presentificando o próprio Deus em meio a um povo da escuta. Como diz a Sacrossanctum Concilium que Deus mesmo quem fala quando são lidas as Sagradas Escrituras na igreja (SC, 7).

5. Presente Cristo na comunidade de amor – Cristo prometeu que “onde dois ou mais estivessem reunidos em seu nome”, Ele garantiria a sua presença concreta e real. É a afirmativa do evangelho de Mateus: 18,20.  Reunidos “em seu nome” entendemos também aqui o mandamento do amor. Onde vivemos o amor, garantimos a presença de Deus entre nós. Poderíamos quase arriscar uma sexta presença de Cristo na liturgia pelo amor. Não só reunidos em seu nome, por causa dele, mas celebrando e vivendo uma verdadeira koinonia, uma presença real de Cristo no amor vivido, celebrado e partilhado. Onde está o amor, aí está Deus".

 

 

27/09/2017 09:14