Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ Geral

México: terremoto de 8.4 foi mais violento que o de 1985, em Cidade do México

Pacientes, médicos e enfermeiros foram pra fora do hospital, em Villahermosa, depois do tremor - EPA

08/09/2017 17:44

Villahermosa (RV) – O terremoto que atingiu o sul do México na noite desta quinta-feira (7) é o mais violento que o país tem lembrança, já que aquele de 1985, em Cidade do México, foi de magnitude 7.2 na Escala Richter. Segundo o Serviço Sismológico Nacional do México, o sismo desta noite com epicentro a 33 quilômetros de profundidade no Pacífico foi de magnitude 8.4.

Cerca de 50 milhões de pessoas sentiram o terremoto, e o número de vítimas fatais, que já somam dezenas, está sempre sendo atualizado. No Estado de Tabasco, um jovem e duas crianças morreram.

Elia Margarita Cornelio Marí, docente de Comunicação na Universidade Juárez Autónoma de Tabasco, nos fala da indignação da população com a morte de um dos pequenos pacientes no Hospital del Niño, já que o gerador demorou para funcionar e foram minutos cruciais e fatais para o neonato que estava respirando por aparelhos.

A professora mora em Villahermosa, capital de Tabasco, no sudeste do país, com mais de 300 mil habitantes e a 400 quilômetros do epicentro. Hoje ela está em casa, como todos do âmbito escolar, já que o governo decidiu suspender as aulas para avaliar os danos.

Elia Margarita Cornelio Marí“Em Tabasco nós sentimos o terremoto, pois foi muito forte, um pouco antes da meia-noite. Nós estávamos indo dormir quando sentimos que a cama se mexia, tremia de uma maneira terrível, inclusive todas as coisas se mexiam no teto. Faltou luz e todas as pessoas saíram de casa, muitas em crise nervosa. Eu, em particular, recebi muitas mensagens em grupos de whatsapp, porque sou professora e os meus alunos queriam saber se eu estava bem e também o estado deles mesmos. As pessoas estavam com muito medo, sobretudo aqueles que moravam em prédios com mais de um andar. Aqui, porém, os edifícios não são tão altos e não se verificaram muitos danos estruturais. No entanto, na manhã de hoje, pudemos ver danos em pontes e prédios altos.”

Segundo a imprensa local, o responsável pela Defesa Civil do Estado de Chiapas, José Garcia, afirmou que seis pessoas morreram numa igreja local. Na cidade de Jalisco, de quase 60 mil habitantes, a igreja católica de San Juan de los Lagos também teria sofrido danos. Na costa mexicana foi inclusive lançado um alarme tsunami, que depois foi retirado, mesmo se observadas ondas altas de quase um metro. (AC)

08/09/2017 17:44