Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Documentos

Papa à Convenção de Bose: dar passos corajosos e concretos rumo à unidade

Patriarcas Bartolomeu e Theodoros participam da Convenção de espiritualidade ortodoxa em Bose - ANSA

06/09/2017 11:26

Cidade do Vaticano (RV) -  “Acolher uns aos outros como dons do Senhor” e “tomar parte na dor daqueles que sofrem e considerar como um mal próprio as desventuras dos outros”, dando “passos corajosos e concretos rumo à plena unidade”.

Com estes votos o Papa saúda os participantes da XXV Convenção Ecumênica Internacional de Espiritualidade Ortodoxa, que se realiza no Mosteiro de Bose de 6 a 9 de setembro.

Francisco inicia a mensagem endereçada ao Irmão Enzo Bianchi, enviando “um caloroso abraço de paz a Sua Santidade o Patriarca Ecumênico, o caríssimo Irmão Bartolomeu e a Sua Beatitude Theodoros, Patriarca de Alexandria”, cuja presença “honra os 25 anos da Convenção que o Mosteiro de Bose organiza em colaboração com as Igrejas Ortodoxas e confirma a sua contribuição ao caminho comum rumo à plena unidade”.

“O tema deste ano “o dom da hospitalidade” é sugestivo e atual, sublinha o Papa. É verdade, a hospitalidade é um dom, um dom que antes de tudo recebemos: somos hóspedes de um mundo para nós criado e que deve ser cuidado, mas estamos também de passagem aqui embaixo, estrangeiros na terra, porque hóspedes enviados e esperados nos céus, onde somos cidadãos”.

Ao mesmo tempo – recorda Francisco – como discípulos caminhantes – “somos chamados a fixar o olhar” na caridade, que nunca acabará e “em acolher uns aos outros como dons do Senhor, para favorecer o cuidado e o afeto recíprocos, a ter compaixão, tomar parte na dor daqueles que sofrem e considerar como um mal próprio as desventuras dos outros”.

Que tal chamado – foram os votos do Papa – “seja reavivado pela escuta humilde e sincera e pelas reflexões destes dias, para que cresçam sempre mais sentimentos fraternos e maduros, uma autêntica “hospitalidade do coração” de forma que, enquanto peregrinamos juntos para o Reino, sejamos impelidos  a dar passos corajosos e concretos rumo a plena unidade”.

Ao concluir, o Santo Padre invoca “a abundância dos dons do Espírito”, sobre os participantes da Convenção”, pedindo para reservarem a ele um lugar nas orações. (JE)

06/09/2017 11:26