Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Documentos

EUA: Proximidade do Papa com as vítimas do furacão Harvey

Furacão Harvey causou a morte de ao menos 37 pessoas e bilhões de dólares de prejuízos materias - AFP

31/08/2017 14:56

Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco expressa “a sua proximidade espiritual” aos atingidos pelo violento furacão que devastou os Estados do Texas e Lousiana, nos Estados Unidos.

Na mensagem assinada pelo Cardeal Secretário de Estado, Pietro Parolin, e endereçada ao Cardeal Daniel DiNardo, Arcebispo de Galveston-Houston e Presidente da Conferência Episcopal estadunidense, o Santo Padre diz estar “profundamente comovido pela trágica perda de vidas e a imensa devastação material” provocada “por esta catástrofe natural”.

O Pontífice assegura as suas orações “pelas vítimas e as suas famílias e por todos aqueles que estão empenhados em uma vital obra de socorro”, confiando que “as necessidades imensas e imediatas de assim tantos indivíduos e comunidades, continuarão a inspirar uma vasta corrente de solidariedade e recíproca ajuda nas melhores tradições da nação” estadunidense.

“Com estes sentimentos” o Papa “envia a sua bênção como penhor de consolação, força e paz no Senhor”.

Aumenta número de vítimas

E cresce o número de vítimas pela passagem do Furacão Harvey  que em 25 de agosto atingiu o Texas, acompanhado de violentas chuvas, inundações e ventos de mais de 200km/hora.

Segundo a CNN, os mortos seriam ao menos 37 e os cálculos dos danos indicam um valor superior a 160  bilhões de dólares. 17 pessoas estão desaparecidas. Muitas pessoas foram salvas, mas outras continuam presas em locais de difícil acesso.

O alarme mais preocupante chega da Central química da Arkema, próximo a Houston, onde ocorreram duas explosões.  O elevado nível das águas e a falta de luz não oferecem a possibilidade de intervir no local. Os funcionários foram afastados do local e a área evacuada, disse o Presidente da sociedade francesa Rich Rowe.

Em Lousiana, com o rebaixamento do furacão a “tempestade tropical”, foi decretado “estado de calamidade natural”, sendo agora acompanhada de intensas chuvas.

31/08/2017 14:56