Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Artigos \ Bispos

Artigo: Dia da vida consagrada

O ponto alto de toda consagração é a vivência, por livre e espontânea vontade, dos chamados conselhos evangélicos, a pobreza, a castidade e a obediência - OSS_ROM

19/08/2017 07:00

Juiz de fora (RV) -  A vocação à vida consagrada, na Igreja, seja ela religiosa ou leiga, é celebrada no terceiro final de semana de agosto. O ponto alto de toda consagração é a vivência, por livre e espontânea vontade, dos chamados conselhos evangélicos, a pobreza, a castidade e a obediência.

É grande dom de Deus à Igreja em seus modos diversos de ser: contemplativo, missionário, caritativo ou secular (vive no mundo sem ser do mundo). Junto a esses modelos convencionais e mais comuns de consagração, a Igreja contempla também a vida eremítica (retirada, orante, penitente e silenciosa), bem como das virgens, que, dentro de um rito próprio entregam-se totalmente a Deus. Ao contrário do(a) eremita, elas podem formar associação a fim de se ajudarem mutuamente.

O Papa Francisco lembrou a necessidade do serviço generoso na vinha do Senhor e a alegria de rezar para ir ao encontro dos que mais precisam da ação da Igreja: “Nós consagrados somos consagrados para servir o Senhor e servir os outros com a Palavra do Senhor, não? Digam aos novos membros, por favor, digam que rezar não é perder tempo, adorar Deus não é perder tempo, louvar Deus não é perder tempo. Se nós consagrados não paramos todos os dias diante de Deus na gratuidade da oração, o vinho será vinagre!”. (https://noticias.cancaonova.com/especiais/pontificado/francisco/papa-aos-consagrados-nao-tenham-medo-de-renovar-estruturas/, último acesso em 15 de agosto de 2017).

Vemos, por esse breve ângulo, que na Igreja há acolhida a todo tipo de chamado recebido de Deus para servir aos irmãos e irmãs. Quero destacar que há críticas à vida contemplativa em um mundo agitado em demasia. Crê-se que não há o direito de alguém permanecer apenas diante do único e verdadeiro Absoluto de nossas vidas, que é Deus. Esquecemo-nos também de que a oração nunca é egoísta, mas elevada ao Pai celeste por intercessores qualificados a orar por mim e por você, certamente tão necessitados da misericórdia divina em nossas vidas.

Ao abraçar cada consagrado quero dizer-lhes da minha alegria pelo seu testemunho e pelo seu trabalho generoso. Continuem firmes na sua missão e que Nosso Senhor, por intercessão de Maria nossa Mãe, lhes conceda e a todos os homens e mulheres de boa vontade o que com fé Lhe pedimos suplicantes: "apresentarmo-nos diante [d’Ele] plenamente renovados no espírito". Que Deus nos ajude na missão!

+ Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora, MG

19/08/2017 07:00