Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Igreja \ Igreja na América

Fundadora das Escravas do Coração de Jesus será beatificada na Argentina

Missionárias da Congregação evangelizaram o país deslocando-se a cavalo - AFP

10/08/2017 16:52

Buenos Aires (RV) – A Santa Sé, por meio da Secretaria de Estado e a Nunciatura Apostólica, confirmou a data da beatificação da Venerável Madre Catalina de María Rodríguez, fundadora da Congregação Escravas do Coração de Jesus.

A cerimônia de beatificação será em 25 de novembro de 2017 na cidade argentina de Córdoba, sendo presidida pelo Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato. O anúncio foi dado durante a Assembleia Plenária dos Bispos, pelo Arcebispo de Córdoba Dom Carlos Ñáñez.

A celebração deverá reunir milhares de peregrinos de todo o país e de várias partes do mundo onde está presente a obra Missionária e educacional da Congregação.

Uma história de santidade

Catalina de María Rodríguez, religiosa apaixonada pelo Coração de Jesus e pela humanidade, nasceu em Córdoba em 27 de novembro de 1823, tendo sido batizada no mesmo dia na Catedral.

Aos 17 anos (1840) participou pela primeira vez dos Exercícios Espirituais onde descobriu sua vocação.

Aos 29 anos casou-se com o Coronel Zavalía, viúvo, com dois filhos que Cataliana ajudou a criar. O casal teve uma filha, Catalina, que morreu ao nascer. 

Desta forma, será a primeira Beata da América mãe biológica e mãe de coração.

Aos 42 anos ficou viúva, renascendo então seu primeiro chamado. Surge então seu “Sonho dourado” de fundar uma Comunidade de Senhoras para promover os Exercícios Espirituais e assistir as mulheres mais vulneráveis da sociedade com o alimento da espiritualidade inaciana e o foco no Coração de Jesus.

O “sonho” torna-se realidade em 29 de setembro de 1872, quando nasce a Comunidade Irmãs Escravas do Coração de Jesus, primeira Congregação apostólica feminina do país.

Em 1880 a Congregação envia o primeiro grupo de 16 irmãs para atravessar as montanhas a cavalo, colaborando assim com a obra de seu amigo Cura Brochero.

Acontecimento de graça

O Papa Francisco assinou em 4 de maio passado o Decreto que reconheceu o milagre atribuído à intercessão de Madre Catalina: a cura de Sofía em Tucumán, em abril de 1997, naquele que ficou conhecido como “Milagre Madre Catalina”.

“Esperamos que este acontecimento traga abundantes bênçãos para o Instituto das Irmãs Escravas do Coração de Jesus, para toda a Igreja que está em Córdoba e na Argentina”, disse na ocasião o Arcebispo de Córdoba, Dom Carlos José Ñañez. A santidade sempre nos enche de alegría e nos mostra esta plenitude de vida para a qual nos chama o Senhor.  Abramos o nosso coração para celebrar este acontecimento de graça”.

(JE/Cuyonoticias)

10/08/2017 16:52