Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Encontros e Eventos

Papa nomeia filho espiritual de Foucauld como Reitor do Seminário Romano

Papa demonstra particular atenção à formação de sacerdotes com uma característica “missionária”, de uma “Igreja em saída” - OSS_ROM

01/08/2017 14:09

Roma (RV) – “A notícia sobre o pedido explícito do Papa Francisco de confiar ao Irmão Gabriele a guia da formação dos futuros presbíteros no Seminário Romano foi para a nossa pequena fraternidade um “relâmpago em céu sereno”, certamente uma novidade que surpreendeu a todos. A nomeação, ocorrida em finais de junho, foi confirmada pelo Capítulo Geral da nossa Congregação e anunciada oficialmente hoje, 31 de julho de 2017”.

Com evidente surpresa, os Pequenos Irmãos de Jesus Caritas – instituto religioso da família espiritual de Charles de Foucauld, Beato francês (1858-1916) explorador do Sahara, eremita, linguista e missionário entre os tuareg, apóstolo da fraternidade entre as diversas culturas – anunciaram em seu site a nomeação pelo Papa Francisco do Irmão Gabriele Faraghini, romano de 51 anos, como novo Reitor do Pontifício Seminário Romano Maior, onde se formam os jovens que se preparam ao sacerdócio, pertencentes à Diocese de Roma ou provenientes de outras Dioceses na Itália e no mundo.

Com a nomeação, o Papa Francisco demonstra uma particular atenção à formação de sacerdotes com uma característica “missionária”, de uma “Igreja em saída”.

Após ser ordenado em 16 de maio de 1992 na Basílica São João de Latrão pelo então Vigário Camillo Ruini, Padre Faraghini ingressou nos Pequenos Irmãos de Jesus Caritas, partindo para a Terra Santa, mais especificamente Nazaré, para o ano de noviciado.

Mais tarde foi Pároco em Limiti di Spello (1998-2005) e Foligno (2005-2017).

No Seminário Maior sucede ao siciliano Padre Concetto Occhipinti.

Durante o Capítulo Geral recém concluído, falou sobre “ser pequeno irmão presbítero na paróquia”.

“O segundo ponto – disse entre outras coisas – é a gratuidade da presença. Viver entregue, sem interesse próprio, somente estando lá. O Irmão Charles de Jesus falava do anúncio do Evangelho com a vida, da evangelização por meio da amizade e da bondade. Imitar Jesus na vida cotidiana de Nazaré é estar em um lugar e compartilhar a vida com quem está ali. Fazer amizade com as pessoas: esta foi a atividade do Irmão Charles no deserto do Sahara”.

“Gabriele não é um padre extraordinário – comentam os Pequenos Irmãos – mas alguém que busca sempre dar o melhor de si. Não é um amante das redes sociais, pois prefere os encontros face a face com as pessoas, pequenas e grandes que sejam, próximas ou afastadas da Igreja. Não é um grande apaixonado por “planos pastorais”, porque como Charles de Foucauld considera que “é preciso deixar-se guiar pelas circunstâncias e pela ajuda de Deus”; tudo isto o Papa Francisco o sabe bem, mas não deixou por menos, dizendo que o presbítero deve saber viver a fraternidade, rezar e amar as pessoas. O resto vem por si”.

(JE/Ansa)
 

01/08/2017 14:09