Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Encontros e Eventos

JMJ de Cracóvia: primeiro dia de Francisco na Polônia

Primeiro dia do Papa Francisco em terras polonesas, 27 de julho de 2016 - RV

27/07/2017 12:22

Cidade do Vaticano (RV) - Nesta quinta-feira (27/07), completa-se um ano do início da viagem apostólica do Papa Francisco à Polônia por ocasião da 31ª Jornada Mundial da Juventude. 

Vamos recordar esse dia do Papa Francisco em terras polonesas.

O Santo Padre deixou o Vaticano e partiu às 14h do aeroporto romano de Fiumicino em direção a Cracóvia, onde chegou por volta das 16h ao Aeroporto Internacional São João Paulo II. Ali foi realizada a cerimônia de boas-vindas na área militar do aeroporto.

A seguir, o Papa se dirigiu para o Castelo de Wawel  local em que houve o encontro com as autoridades, a sociedade civil e o corpo diplomático

Ali, Francisco proferiu as seguintes palavras: 

“É a primeira vez que visito a Europa Centro-Oriental e estou contente por começar da Polônia, que, entre os seus filhos, conta o inesquecível São João Paulo II, idealizador e promotor das Jornadas Mundiais da Juventude.”

Ainda nesse encontro, o Papa chamou a atenção das autoridades para a questão dos refugiados

“É preciso a disponibilidade para acolher as pessoas que fogem das guerras e da fome; a solidariedade para com aqueles que estão privados dos seus direitos fundamentais, designadamente o de professar com liberdade e segurança a sua fé. Ao mesmo tempo, devem ser estimuladas colaborações e sinergias a nível internacional a fim de se encontrar soluções para os conflitos e as guerras, que forçam tantas pessoas a deixar as suas casas e a sua pátria.”

Após esse encontro, realizou-se a visita de cortesia ao Presidente da República na "Sala dos Pássaros" do Castelo de Wawel.

Depois, o Papa prosseguiu para a Catedral de Cracóvia onde se encontrou com os Bispos poloneses. Ali, respondeu algumas perguntas feitas pelos prelados. Os temas abordados durante o encontro foram: secularização na Polônia, misericórdia, refugiados e a relação entre os novos movimentos e paróquias.

O último compromisso do Papa, em 27 de julho do ano passado, foi a saudação aos jovens da sacada do arcebispado de Cracóvia.

Ali, o Pontífice falou de um fato que “entristece o coração”, citando um jovem de 22 anos, Maciej, que morreu poucos dias antes da JMJ em decorrência de um câncer. 

A propósito desse jovem o Papa disse:

“Este rapaz deixou seu emprego como gráfico para ser voluntário da Jornada Mundial da Juventude. Na verdade, são dele todos os desenhos das bandeiras, as imagens dos Santos Padroeiros, do kit do peregrino, e outras coisas mais que adornam a cidade. Precisamente neste trabalho, reencontrou a sua fé.”

A seguir, ressaltou: 

“Alguém de vocês pode pensar: ‘Este Papa está estragando a noite’. Mas é a verdade, e nós devemos nos acostumar com as coisas boas e ruins. A vida é assim, queridos jovens. Mas há algo de que não podemos duvidar: da fé deste rapaz, deste nosso amigo que trabalhou muito por esta JMJ. Agora ele está com Jesus, olhando para todos nós. E esta é uma graça. Uma salva de palmas para o nosso companheiro!”

O Papa concluiu a saudação aos jovens com as seguintes palavras:  “Amanhã nos revemos. Façam ver a alegria cristã, a alegria que o Senhor lhes dá por ser uma comunidade que segue Jesus”. 

(MJ)

 

 

 

27/07/2017 12:22