Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Documentos

Papa no twitter: Meio Ambiente é responsabilidade de todos

Papa Francisco em Assis - OSS_ROM

05/06/2017 15:54

Cidade do Vaticano (RV) – Com o tweet “Nunca esqueçamos de que o ambiente é um bem coletivo, patrimônio de toda a humanidade e responsabilidade de todos”, o Papa Francisco recorda o Dia Mundial do Meio Ambiente celebrado esta segunda-feira, 5 de junho.

A preocupação com nossa “Casa comum” é uma das marcas do Pontificado de Francisco. Em 24 de maio de 2015, foi publicada sua Encíclia Laudato Sii, que trata de uma “ecologia integral”, ou seja, que envolve ecologia do homem e ecologia da criação.

Já na Missa com a imposição do Pálio e a entrega do Anel do Pescador para o início do Ministério Petrino do Bispo de Roma, Francisco destacava em sua homilia a importância do cuidado com a criação, indicando assim uma das linhas de seu Pontificado.

A Santa Missa de início do ministério petrino, de fato,  deu-se em coincidência com a Solenidade de São José, esposo da Virgem Maria e patrono da Igreja universal.

José  teve a vocação de “guardião”, cuidou “com amor de Maria” e se dedicou “com empenho jubiloso à educação de Jesus Cristo”,  “também guarda e protege o seu Corpo místico, a Igreja, da qual a Virgem Santíssima é figura e modelo” .

“Entretanto – observou o Papa Francisco - a vocação de guardião não diz respeito apenas a nós, cristãos, mas tem uma dimensão antecedente, que é simplesmente humana e diz respeito a todos: é a de guardar a criação inteira, a beleza da criação, como se diz no livro de Gênesis e nos mostrou São Francisco de Assis: é ter respeito por toda a criatura de Deus e pelo ambiente onde vivemos. É guardar as pessoas, cuidar carinhosamente de todas elas e cada uma, especialmente das crianças, dos idosos, daqueles que são mais frágeis e que muitas vezes estão na periferia do nosso coração. É cuidar uns dos outros na família: os esposos guardam-se reciprocamente, depois, como pais, cuidam dos filhos, e, com o passar do tempo, os próprios filhos tornam-se guardiões dos pais. É viver com sinceridade as amizades, que são um mútuo guardar-se na intimidade, no respeito e no bem. Fundamentalmente tudo está confiado à guarda do homem, e é uma responsabilidade que nos diz respeito a todos. Sede guardiões dos dons de Deus!”

“E quando o homem falha nesta responsabilidade – foi o seu alerta - quando não cuidamos da criação e dos irmãos, então encontra lugar a destruição e o coração fica ressequido. Infelizmente, em cada época da história, existem «Herodes» que tramam desígnios de morte, destroem e deturpam o rosto do homem e da mulher”.

Neste contexto, o Papa dirigiu o seguinte apelo:

“Queria pedir, por favor, a quantos ocupam cargos de responsabilidade em âmbito econômico, político ou social, a todos os homens e mulheres de boa vontade: sejamos «guardiões» da criação, do desígnio de Deus inscrito na natureza, guardiões do outro, do ambiente; não deixemos que sinais de destruição e morte acompanhem o caminho deste nosso mundo! Mas, para «guardar», devemos também cuidar de nós mesmos. Lembremo-nos de que o ódio, a inveja, o orgulho sujam a vida; então guardar quer dizer vigiar sobre os nossos sentimentos, o nosso coração, porque é dele que saem as boas intenções e as más: aquelas que edificam e as que destroem. Não devemos ter medo de bondade, ou mesmo de ternura”. (JE)

05/06/2017 15:54