Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

App:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Vaticano \ Eventos

Eleito Lugar-Tenente do Grão-Mestre da Ordem de Malta

Fra' Giacomo Dalla Torre estará à frente da Soberana Ordem de Malta por um ano - ANSA

01/05/2017 18:28

Roma (RV) -  Fra’ Giacomo Dalla Torre, do Templo de Sanguinetto foi eleito Lugar-Tenente do Grão-Mestre da Soberana Ordem Militar de Malta.

O Conselho Completo de Estado - órgão responsável pela eleição do Grão-Mestre - teve lugar no último sábado,  29 de abril, na Vila Magistral, sede extraterritorial da Ordem em Roma.

O novo eleito prestou juramento no dia seguinte diante do Delegado Especial de Sua Santidade, o Arcebispo Giovanni Angelo Becciu. Após o juramento, o Grão Comendador, Fra’ Ludwig Hoffmann von Rumerstein, conferiu o colar do Grão-Mestre ao Lugar-Tenente e, sucessivamente, o Grão-Chanceler Albrecht Boeselager declarou concluído o Conselho Completo de Estado. Seguiu-se a celebração da Santa Missa na Igreja da Ordem Santa Maria no Aventino, presidida por Dom Becciu. Na conclusão, a bandeira do Grão-Mestre foi içada na Vila Magistral.

Fra’ Giacomo Dalla Torre sucede a Fra’ Matthew Festing, o 79º Grão-Mestre, que apresentou a sua renúncia em 28 de janeiro de 2017. O Papa Francisco foi informado da eleição por meio de uma carta. Sucessivamente, foram informados todos os Grão-Priorados, os Sub-Priorados e as Associações Nacionais da Ordem no mundo, junto aos 106 Estados com os quais a Soberana Ordem de Malta mantém relações diplomáticas.

Interino, por um ano

O Lugar-Tenente do Grão-Mestre permanece no cargo por um ano, ao final do qual será convocado novamente um novo Conselho Completo de Estado.

Ao ser eleito, Fra’ Giacomo expressou a vontade de trabalhar junto ao Soberano Conselho da Ordem, para promover as atividades diplomáticas, sociais e humanitárias e para fortificar a vida espiritual e o compromisso dos seus 13.500 membros e de seus mais de 100 mil voluntários e funcionários.

Perfil

Fra’ Giacomo Dalla Torre nasceu em Roma em 1944. Formado em Letras e Filosofia pela Universidade de Roma, com especialização em Arqueologia Cristã e História da Arte, desempenhou cargos acadêmicos na Pontifícia Universidade Urbaniana, ensinando grego clássico.

Ademais, foi responsável pela Biblioteca e Arquivista para importantes coleções da Universidade. Publicou ensaios e artigos sobre história da arte medieval.

Passou a fazer parte da Soberana Ordem de Malta em 1985, pronunciando os votos solenes em 1993. De 1994 a 1999 foi Grão-Prior da Lombardia e Veneza e de 1999 a 2004, membro do Soberano Conselho.

O Capítulo Geral de 2004 o elegeu Grão Comendador da Ordem e na morte do 78º Grão-Mestre Fra’ Andrew Bertier, foi o Tenente interino. Desde 2008 Fra’ Giacomo Dalla Torre desempenha o cargo de Grão-Prior de Roma

Agenda

O primeiro compromisso oficial do Lugar-Tenente do Grão-Mestre será a 59ª Peregrinação internacional da Ordem de Malta a Lourdes, de 5 a 9 de maio. Anualmente, mais de 7 mil membros e voluntários provenientes de todo o mundo participam da peregrinação, assistindo cerca de 1.500 peregrinos doentes e com necessidades especiais.

A peregrinação a Lourdes representa um dos momentos mais significativos da vida espiritual dos membros e dos voluntários da Ordem

Reforma constitucional

Uma das tarefas mais importantes de Fra’ Giacomo Dalla Torre durante o ano de seu mandato – refere um comunicado da Ordem – será o de trabalhar no processo de reforma da Constituição e do Código da Ordem de Malta. A Carta Constitucional foi promulgada em junho de 1961 e reformada em 1997.

Em particular, a reforma constitucional tratará de eventuais carências institucionais. A recente crise – sublinha a nota – revelou algumas falhas no sistema de controle e no equilíbrio da governança. A reforma levará isto em consideração e se concentrará na exigência da Ordem de fortalecer a sua vida espiritual e de aumentar o número de seus membros professos. Já foram iniciadas consultas e todos os membros da Ordem foram convidados a propor sugestões.

O Lugar-Tenente do Grão-Mestre

Segundo a Constituição da Ordem, o Lugar-Tenente do Grão-Mestre permanece no cargo por um ano, com os mesmos poderes de um Grão-Mestre.

O Lugar-Tenente do Grão-Mestre deve convocar novamente o Conselho Completo de Estado antes da conclusão de seu mandato. O Lugar-Tenente do Grão-Mestre, como Soberano e Superior religioso, deve dedicar-se inteiramente ao incremento das obras da Ordem e servir de exemplo para todos os membros na observância religiosa.

Ele tem a suprema autoridade. Junto ao Soberano Conselho, emana os procedimentos legislativos não previstos pela Carta Constitucional. Promulga atos de governo e ratifica os acordos internacionais. O Lugar-Tenente do Grão Mestre reside na sede da Ordem de Malta, o Palácio Magistral, em Roma.

O Conselho Completo de Estado

Este Conselho é composto pelos representantes máximos da Ordem ao nível do Soberano Conselho em funções, dos Grão-Priorados, Associações Nacionais e Cavaleiros eleitos pelos seus pares, num total de 56 eleitores.

À semelhança do Estado do Vaticano, a Ordem Soberana e Militar de Malta é uma Monarquia Eletiva. O Grão-Mestre é eleito, para um cargo vitalício, pelo Conselho Completo de Estado, entre os Cavaleiros Professos com pelo menos dez anos de votos perpétuos, se tiverem menos de cinquenta anos de idade. No caso dos Cavaleiros Professos que são mais velhos, mas que são membros da Ordem por pelo menos dez anos, três anos de votos perpétuos são suficientes.

Desta vez, havia 12 candidatos elegíveis. Os Cavaleiros Professos que participam do Conselho Completo de Estado têm o direito de propor três candidatos no primeiro dia do Conselho, o chamado "terna". Na sequência desta decisão, inicia-se o processo eleitoral. Para eleger um Grão-Mestre, é necessária uma maioria mais um voto dos presentes com direito a voto. Se não se conseguir a eleição nesta primeira vez, os membros passam a ter liberdade de escolha relativamente aos 12 candidatos elegíveis nas votações seguintes.

A Ordem

A Ordem de Malta ou Cavaleiros Hospitalários (oficialmente Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta) é uma organização internacional católica que começou como uma ordem beneditina fundada no século XI na Palestina, durante as Cruzadas, mas que rapidamente se tornaria numa ordem militar cristã, numa congregação de regra própria, encarregada de assistir e proteger os peregrinos àquela terra e de exercer a Caridade.

Tinha como padroeiro São João Esmoler (550-619), patriarca de Alexandria.

Face às derrotas e consequente perda pelos cruzados dos territórios na Palestina, a Ordem passou a operar a partir da Ilha de Rodes, onde era soberana, e mais tarde desde Malta, como Estado vassalo do Reino da Sicília.

Atualmente, a Ordem de Malta é uma organização humanitária soberana internacional, reconhecida como entidade de direito internacional. A Ordem dirige hospitais e centros de reabilitação. Possui 12.500 membros, 80.000 voluntários permanentes e 20.000 profissionais da saúde associados, incluindo médicos, enfermeiros, auxiliares e paramédicos. Seu objetivo é auxiliar os idosos, os deficientes, os refugiados, as crianças, os sem-teto e aqueles com doença terminal e hanseníase (esta a par com a Ordem de São Lázaro), atuando em cinco continentes do mundo, sem distinção de raça ou religião.

01/05/2017 18:28