Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ Geral

Dom F. Santoro: "respeitar saúde e dignidade dos operários"

Ilva, maior siderúrgica da Europa, em Taranto (sul da Itália) - ANSA

14/04/2017 13:36

Taranto (RV) - “Abater os muros, construir pontes”: este foi o tema da celebração pascal celebrada na manhã de Quinta-feira Santa na sede dos bombeiros da usina siderúrgica Ilva. A missa foi presidida pelo arcebispo de Taranto, Dom Filippo Santoro, conhecido pelos brasileiros por ter sido bispo auxiliar do Rio de Janeiro e bispo de Petrópolis (RJ) por 15 anos.

“A celebração de hoje é uma ocasião para se lembrar de todos os colegas que morreram por causa do trabalho. Vocês são aqueles que contribuíram com o bem-estar da cidade e de todo o nosso país, bem-estar do qual muitos desfrutaram, inclusive alguns que hoje parecem tê-lo esquecido. Vocês são aqueles que fazem um trabalho duro, pesado e arriscado, que os honra e lhes garante o necessário para suas famílias. É por amor a vocês e a nossos próximos que desejo apelar aos protagonistas deste momento de transição da siderúrgica, à responsabilidade”.

“Que, como pede o Papa Francisco na Encíclica Laudato si, antes de qualquer decisão seja feita uma rigorosa avaliação cautelar dos riscos para a saúde e o meio-ambiente  e que a população seja devidamente informada”.

“Sejam levadas em consideração exclusivamente opções que garantam o respeito pela dignidade e a saúde dos operários, e a salvaguarda de nosso território, tão gravemente comprometido, e seja defendido o pleno emprego. Esperamos um plano industrial claro e um cronoprogramma sério”.

A Ilva é o maior complexo siderúrgico da Europa e se localiza em Taranto, sul da Itália. Enquanto por um lado, é fonte de trabalho para muitos nesta região da Itália economicamente pobres, por outro, é geradora de prejuízos ao meio-ambiente e à saúde dos cidadãos. A empresa é há anos acusada e vários dirigentes estão sob processo por causa do impacto ambiental causado pela emissão de dioxinas. Dados apontam para um elevado risco de câncer entre a população, exposta a pós e metais pesados no ar e à perigosa contaminação das faldas freáticas

(CM)

14/04/2017 13:36