Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

App:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Papa Francisco \ Documentos

Atentado Québec: Papa condena violência geradora de sofrimento

Arcebispo de Québec estava na missa da manhã de segunda-feira (30/01) - AP

30/01/2017 16:11

Cidade do Vaticano (RV) – Ao menos seis pessoas morreram e oito ficaram feridas domingo (30/01) num atentado contra uma mesquita em Quebec, no Canadá. Dois  homens encapuzados atiraram contra frequentadores do templo islâmico horas depois de o premiê canadense declarar que vai receber refugiados rejeitados pelos EUA.

O Papa Francisco recebeu a notícia e enviou um telegrama à Arquidiocese de Québec, manifestando seu pesar.

“Sua Santidade confia à misericórdia de Deus as pessoas que perderam a vida e se associa à oração e à dor de seus entes queridos. Expressa sua profunda solidariedade aos feridos e seus familiares, assim como a todas as pessoas que contribuíram nas operações de socorro, pedindo ao Senhor que lhes conforte e console neste momento de provação. O Santo Padre condena firmemente a violência que gera tanto sofrimento e implora de Deus o dom do respeito mútuo e da paz, invocando sobre as famílias e todas as pessoas tocadas por este drama, assim como para todos os cidadãos da cidade, as bênçãos do Senhor” – diz o texto.

O Cardeal em visita a Roma

Enquanto o telegrama foi enviado à Arquidiocese, o Papa teve a oportunidade de saudar pessoalmente o arcebispo metropolita de Québec, Gérald Cyprien LaCroix que participou da missa matutina presidida na Capela Santa Marta.

Francisco ressaltou a importância de neste momento, permanecer todos unidos na oração, cristãos e muçulmanos.

Em visita a Roma, o Cardeal partiu imediatamente para o Canadá.

Entretanto, também o Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso recebeu com tristeza e indignação a notícia do atentado contra os muçulmanos em oração em um local de culto e emitiu uma nota a respeito.

“Com este gesto insensato foram violados a sacralidade da vida humana e o respeito devido a uma comunidade em oração e ao lugar de culto que a acolhia. O Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso condena firmemente este ato de excepcional violência e deseja que chegue aos muçulmanos do Canadá a sua plena solidariedade, assegurando sua fervorosa oração pelas vítimas e suas famílias”. 

(CM)

30/01/2017 16:11