Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ Geral

"Parabéns, contaminadores da Terra!"

Temperaturas chegam a 1,2 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais - ANSA

18/01/2017 12:22

Cidade do Vaticano (RV) – Está comprovado: 2016 foi o ano mais quente já registrado na História, com temperaturas chegando a 1,2 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais.  

"Fomos testemunhas de um prolongado período de extraordinário calor e tudo indica que isto se transformará na nova norma", sustentou o Secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial (OMM), Petteri Taalas, ao apontar que foram observados níveis excepcionalmente altos de concentração de dióxido de carbono e que recordes de temperatura foram quebrados.

"Agosto foi o mês mais quente em registros tanto na superfície terrestre como nos oceanos", acrescentou a porta-voz da OMM, Claire Nullis, baseando-se em dados da Nasa e do Centro Europeu para as Previsões Meteorológicas a Médio Prazo.

Segundo os últimos dados, a superfície de gelo no Ártico no verão do hemisfério norte deste ano foi a segunda mais reduzida dos últimos 37 anos, quando começaram os registros por satélite.

O pior evento natural registrado em 2016 foi o furacão Matthew, que causou a maior emergência humanitária no Haiti desde o terremoto de 2010. Entre outros eventos drásticos, houve tufões e ciclones, inundações em toda a Ásia e África, grandes ondas de calor e grandes secas.

Ivo Poletto é filósofo, teólogo e assessor de pastorais e movimentos sociais. Através do Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social, ele comenta a constatação de que o ano que passou foi o mais quente da História.

Ouça:

(CM)

 

18/01/2017 12:22