Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ Geral

Card. Sandri a Igrejas orientais: caminhar com os bispos latinos

Prefeito da Congreação para as Igrejas Orientais, Cardeal Leonardo Sandri

21/10/2016 16:00

Lisboa (RV) - “Também o europeu – italiano, espanhol, francês, alemão, português, polonês, húngaro – foi migrante. Devemos nos lembrar disso, inclusive do ponto de vista eclesial.” Foi o que disse esta quinta-feira (20/10) o prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, Cardeal Leonardo Sandri, abrindo em Lisboa o encontro dos bispos das Igrejas orientais católicas na Europa.

“Estamos aqui porque também nós temos a peito o futuro e a identidade deste continente e queremos caminhar juntos aos bispos da Igreja Latina para manifestar a comunhão e a beleza de ser, todos, parte da Igreja universal, que acolhe em si uma variedade de expressões e tradições”, ressaltou o purpurado argentino.

Sofrimento das Igrejas bizantinas sob o comunismo

O Cardeal Sandri recordou que a Europa “durante algumas crises econômicas viu partir milhões de seus filhos, que se estabeleceram em grande parte, no continente americano, tanto no Norte como no Sul”, reporta a agência Sir.

“Ainda hoje encontramos nas grandes metrópoles” bairros inteiros dessas comunidades, observou, acrescentando que “os habitantes, que se integraram muito bem no lugar onde hoje se encontram, conhecem seus costumes e respeitam suas leis, não perdem suas raízes e as transmitem às novas gerações”.

Em seu pronunciamento, o prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais lembrou também que no Leste europeu “as Igrejas de tradição bizantina nasceram e se desenvolveram”, mas “nos anos do domínio do socialismo soviético e de sistemas afins nos países satélites houve sofrimentos e perseguições”.

A colaboração entre Igrejas orientais católicas e Pastores latinos

“O sofrimento mais recente concerne ao fluxo maciço de fiéis provenientes do Oriente Médio, particularmente entre os filhos da Igreja melquita, sírio-católica, caldeia e, embora em menor medida, armênia”.

“Como Igrejas orientais católicas estamos aqui, em primeiro lugar, para agradecer aos corrimãos latinos pela hospitalidade, acolhimento, amizade sincera e múltiplos gestos de solidariedade concreta expressos ao longo dos anos”, concluiu o purpurado, acrescentando que, “de nossa parte, asseguramos que os hierarcas das Igrejas orientais católicas continuarão no compromisso e na pronta verificação, garantindo a plena colaboração com os Pastores latinos”. (RL)

21/10/2016 16:00