Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Igreja \ Igreja no mundo

Kosovo consagrará Catedral à Santa Madre Teresa e espera por Francisco

“Sem o sofrimento e o sacrifício ela nunca teria sido ela mesma, muito menos a Missionária da Caridade" - AFP

09/09/2016 17:22

Roma (RV) – Em 2017, no primeiro aniversário da canonização de Madre Teresa, será consagrado em Pristina o Santuário a ela dedicado, “e esperamos que seja o Papa Francisco a fazê-lo”. O desejo foi expresso pelo Vigário Geral da Diocese de Prizren,  Kosovo, Padre Lush Gjergji, à margem da celebração ocorrida no Vaticano da canonização da Santa de Calcutá.

Amizade de infância

“Em 2007 começamos a construir a Catedral de Madre Teresa. Em 2010 foram iniciadas as missas, mas ainda não está terminada”, explicou o sacerdote, biógrafo oficial de Madre Teresa e seu amigo desde tenra idade, visto as ligações entre sua família e a da fundadora das Missionárias da Caridade. Sua tia Mrika e a mãe Dile eram coetâneas de Madre Teresa e com ela passaram a infância em Skopje.

Antes de encontrá-la em Roma em 1968, Padre Lush já havia ouvido falar da irmã: “Quando a encontrei – recorda –percebi logo a santidade da Madre e naquele mesmo momento decidi que queria dedicar boa parte da minha vida em conhecê-la mais de perto: a família, a vida paroquial, as raízes deste grandioso fenômeno de bondade e amor”.

Promessa cumprida

O sacerdote acredita “ter cumprido a promessa, com os 15 livros dedicados à vida de Madre Teresa”, entre os quais a primeira biografia completa. Como ele mesmo revela, “tentei segui-la por toda a vida, até o seu retorno ‘à casa do Pai’”.

Uma frase que Madre Teresa repetia sempre, acabou por  marcar o sacerdote: “Olhando os cinco dedos da mão, ela repetia a cada dia aquilo que era o seu Evangelho: ‘O que farei hoje para Jesus?’. Este é o melhor exame de consciência cristão”.

Noite escura

Ao falar sobre a “noite escura” – período em que Madre Teresa experimentou o “silêncio de Deus” - Padre Lush explicou ter-se tratado “de um período em que Deus a colocou à prova. Foi uma prova longa e dura, ela sentia como que abandonada pelo Senhor. Mas a resposta de Madre Teresa foi excepcional: perseverança na fé e fidelidade no amor. Isto testemunha a grande santidade da Madre, a sua capacidade de sofrer e oferecer tudo a Deus e ao próximo”.

Sofrimento e sacrifício

“Sem o sofrimento e o sacrifício – continua – ela nunca teria sido ela mesma, ainda menos a Missionária da Caridade, a pessoa assim audaz a enfrentar o mal no mundo moderno. Ela dizia: ‘Sem o amor e o sacrifício, a vida não tem sentido’”.

Bênçãos para Igreja do Kosovo

Padre Lush está convencido de que a canonização de Madre Teresa levará inúmera bênçãos à Igreja kosovar. “Madre Teresa – afirma – é a expressão mais bela da nossa tradição albanesa que respeita e pratica a hospitalidade, a generosidade, o sentido da vida familiar, o diálogo ecumênico e inter-religioso”.

Neste sentido, o Vigário de Prizren relata que a Igreja local tem boas relações com a Igreja Ortodoxa da Sérvia e com a comunidade islâmica, com as quais “buscamos diversos pontos de encontro e de colaboração pelo bem comum”.

Mesmo minoria no país, Igreja deu muitas vocações

Não obstante o número de católicos no país seja exíguo – cerca de 60 mil (3% da população) – o Kosovo “deu diversos sacerdotes e religiosos à Albânia, à diáspora europeia e nos EUA”.

Por fim, o sacerdote espera que o Papa Francisco possa consagrar o novo Santuário dedicado à Santa. “Esta – conclui – será uma boa ocasião de peregrinações nas pegadas de Madre Teresa: Prizren, cidade dos pais. Skopje, onde nasceu a santa; Letnica, onde decidiu tornar-se irmã para ajudar os povos do mundo”.

(je/asianews)

09/09/2016 17:22