Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

App:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Igreja \ Igreja na América

Jubileu pelo centenário de nascimento do Beato Oscar Romero

O beato Romero em foto de 1977 - AP

17/08/2016 12:45

San Salvador (RV) - A Arquidiocese de San Salvador deu início, no último dia 15 de agosto, a um Ano Jubilar especial em preparação ao Centenário de nascimento do Beato Oscar Arnulfo Romero, que se concluirá em 15 de agosto de 2017.

Na véspera de sua morte, fez um pronunciamento contundente a respeito da repressão em seu país: "Em nome de Deus e desse povo sofredor, cujos lamentos sobem ao céu todos os dias, peço-lhes, suplico-lhes, ordeno-lhes: cessem a repressão".

Oscar Romero foi assassinado enquanto celebrava Missa, em 24 de março 1980, por um atirador de elite do exército salvadorenho, treinado na Escola das Américas. Sua morte provocou uma onda de protestos em todo o mundo e pressões internacionais por reformas em El Salvador.

Em 1997, Dom Romero foi declarado "Servo de Deus" por São João Paulo II e, em fevereiro de 2015, o Papa Francisco aprovou o decreto de beatificação do arcebispo salvadorenho, reconhecendo o seu martírio.

A solene cerimônia de Beatificação deu-se no dia 23 de maio de 2015, na capital salvadorenha, presidida pelo Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação das Causas dos Santos. 

Biografia

Oscar Arnulfo Romero Galdámez, conhecido como Dom Romero foi um sacerdote católico salvadorenho e quarto Arcebispo metropolitano de San Salvador (1977-1980), capital de El Salvador.

Romero nasceu na Ciudad Barrios, um povoado a 156 quilômetros da capital salvadorenha, no dia 15 de agosto de 1917, em uma família de origens humildes.

Em 1931, ingressou para o Seminário Menor de San Miguel, onde ficou conhecido como 'O menino da flauta', por sua habilidade em utilizar uma flauta de bambu, que ganhou de seu pai.

Em 1937, ingressou para o Seminário Maior San José de La Montaña, em San Salvador e, sete meses depois, foi estudar teologia em Roma, onde presenciou às calamidades da Segunda Guerra Mundial.

Em 4 de abril de 1942 foi ordenado sacerdote; em 21 de junho de 1970, nomeado bispo auxiliar de San Salvador; em 15 de outubro 1974, bispo de Santiago de María, no Departamento de Usulután; e em 3 de fevereiro de 1977 nomeado arcebispo de San Salvador.

Em março de 1977, quando do assassinato de seu amigo, Padre Rutilio Grande e de dois camponeses, Romero passou a denunciar as injustiças sociais, pelos meios de comunicação católicos. Por isso, chegou a ser conhecido como "A voz dos sem voz".

Referência pela paz

Por ter aderido aos ideais da não violência, chegou a ser comparado a Mahatma Gandhi e a Martin Luther King. Oscar Romero denunciava, em suas homilias dominicais, as numerosas violações de direitos humanos em El Salvador e manifestou publicamente sua solidariedade com as vítimas da violência política, no contexto da Guerra Civil de El Salvador.

No âmbito da Igreja Católica, defendia a "opção preferencial pelos pobres". Tanto é verdade que, na sua homilia de 11 de novembro de 1977, Dom Romero afirmou: "A missão da Igreja é identificar-se com os pobres. Assim a Igreja encontra a sua salvação."

(mt)

17/08/2016 12:45