Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

App:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Igreja \ Igreja no mundo

Religiosas dos EUA pedem 'decência' a Clinton e Trump

Integrantes da LCWR em audiência com o Papa - REUTERS

11/08/2016 10:40

Washington (RV) – A Conferência das Religiosas dos EUA (Leadership Conference of Women Religious -Lcwr), organização que representa cerca de 80% das 49 mil freiras do país, entregou segunda-feira (08/08) uma carta aos candidatos nas eleições presidenciais de 8 de novembro: Hillary Clinton e Donald Trump. Assinada por 5.671 religiosas, a carta pede uma campanha eleitoral livre da ‘retórica do medo’ e comprometida em um ‘diálogo construtivo’.

Debates 'inflamados'

As irmãs deploram o tom aceso que a discussão registrou nas últimas semanas. Sem indicar explicitamente os excessos e os ataques verbais dos dois candidatos, denunciam firmemente a política marcada por uma ‘retórica deprimente’, o sistema ‘paralisado pelo extremismo ideológico’ e o excessivo espírito de parcialidade.

“Não podemos deixar que vençam as vozes do ódio e do medo”, consta no texto. As signatárias, engajadas nos campos da instrução, saúde e assistência aos mais pobres, exortam os candidatos à presidência a trabalharem por um ‘diálogo construtivo’ que reflita os princípios e valores sobre os quais se funda a nação: respeito da dignidade humana e busca do bem comum.

Como administrar as diferentes convicções

“O problema não são as nossas diferenças, é o modo em que nossos desacordos são negociados”, afirmam ainda, convidando os candidatos a “conterem as palavras desrespeitosas, que desumanizam ou demonizam os outros”, privilegiando, a cortesia e a decência no confronto político.

A Leadership Conference of Women Religious reúne responsáveis de congregações de religiosas católicas dos EUA. Fundada em 1956, ajuda seus membros a desempenhar a obra de promoção da missão do Evangelho. 

(CM)

11/08/2016 10:40