Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Especiais \ Missão Continental

Unidade entre Igrejas cristãs deve ser testemunho nossa fé

Símbolo do ecumenismo: Que todos sejam um, para que haja um só Pastor e um só rebanho

05/05/2016 12:55

Cidade do Vaticano (RV) - Amigo ouvinte, o quadro “Nova Evangelização e Concílio Vaticano II” continua trazendo a participação do bispo da Diocese de Campina Grande, Dom Manoel Delson Pedreira da Cruz, O.F.M. Cap., com quem temos contado estes dias neste espaço de formação e aprofundamento.

Tratando da caminhada da Igreja nestes 50 anos pós-conciliares, o bispo desta Igreja particular da Paraíba nos disse, entre outras coisas, que uma das grandes intuições do Concílio foi “colocar a Igreja dentro da realidade do mundo e fazer com que ela tivesse uma comunicação do Evangelho mais direta e testemunhal”.

Como se sabe, um dos esforços do Concílio deu-se no campo do ecumenismo, para o qual houve um grande impulso. A Unitatis redintegratio, Decreto conciliar sobre o ecumenismo, é expressão desse impulso.

Procuramos saber de Dom Manoel Delson sobre a realidade desta Igreja particular nesse âmbito: o esforço do ecumenismo com as realidades locais de sua diocese, na busca de viver uma partilha comum de valores.

Ele nos diz que este trabalho do ecumenismo é muito difícil na realidade do nordeste, fala-nos de poucas iniciativas e poucos encontros, apenas algumas experiências em que há um trabalho em conjunto, principalmente na dimensão social.

Dom Manoel Delson lembra-nos que a Campanha da Fraternidade deste ano, que teve como tema “Casa comum, nossa responsabilidade”, foi uma campanha ecumênica, mas que não teve grandes repercussões no sentido de um trabalho de união.

“Quando a gente quer abrir para um diálogo, sentimos uma grande resistência”, afirma o bispo de Campina Grande, que diz sentir uma distância muito grande nesse esforço ecumênico, salvo no caso de algumas Igrejas mais tradicionais.

No seguimento de Jesus, observa, “devemos trabalhar para criar uma só fé, um só rebanho, porque há um só pastor, e a unidade entre as Igrejas cristãs deve ser um testemunho de nossa fé no Cristo ressuscitado”. Vamos ouvir (ouça clicando acima).

(RL)

05/05/2016 12:55