Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Atualidade \ Geral

Um ano após terremoto no Nepal, ainda 600 mil famílias sem casa

Um ano após terremoto no Nepal, comunidades mais afastadas permanecem excluídas das ajudas - AFP

22/04/2016 16:58

Katmandu (RV) - Passado um ano do terrível terremoto que em 25 de abril de 2015 sacudiu o Nepal, no qual nove mil pessoas perderam a vida, seiscentas mil famílias vivem ainda em alojamentos temporários cobertos de lona, sob pontes ou em construções inseguras porque não dispõem de um alojamento permanente.

É o que afirma Save the Children – organização internacional independente dedicada, desde 1919, a salvar crianças em perigo e a tutelar os direitos delas – num novo relatório lançado esta quinta-feira (21/04), que traça o balanço de doze meses de assistência humanitária em resposta ao abalo sísmico que sacudiu o país do centro-sul da Ásia.

Save the Children entrou em ação em menos de 24 horas do violentíssimo terremoto de magnitude 7,9 graus na escala Richter, fornecendo materiais de socorro às populações atingidas, distribuindo água e alimento e assegurando assistência médica, serviços higiênicos, alojamentos temporários e instrução.

A Organização atendeu até agora mais de 580 mil pessoas atingidas, a metade das quais crianças, e continua trabalhando na região oferecendo o maior suporte possível.

Durante a emergência, Save the Children construiu 586 Centros temporários de aprendizagem, distribuiu mais de 27 mil kits higiênicos e reconstruiu 238 sistemas hidráulicos, 46% dos quais tinham sido danificados pelos fortes abalos sísmicos. Graças à Organização, mais de 190 mil crianças conseguiram voltar às escolas.

Apesar dos importantes resultados alcançados respondendo às necessidades urgentes da população na fase aguda da emergência, a prioridade agora é começar o processo de reconstrução. Passado um ano do sismo, muitas comunidades ainda vivem em alojamentos improvisados ou em abrigos temporários fornecidos meses atrás por organizações de ajudas e, depois de um inverno muito rígido, se preparam para enfrentar a próxima estação de monções, que terá início em junho.

O programa de reconstrução deve ter início o quanto antes. Save the Children já tem pronto, há meses, um projeto dedicado, que compreende a formação de seis mil pedreiros para reconstruir respeitando os critérios de segurança e a distribuição de subvenções em dinheiro a seis mil famílias vulneráveis, num montante de doze milhões de dólares, que lhes permitirá começar a reconstruir suas casas. Assim que recebermos o sinal verde, estaremos prontos para partir”, disse a diretora de Save the Children no Nepal, Delailah Borja. (RL)

22/04/2016 16:58