Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Igreja \ Igreja no mundo

Perseguição anticristã em aumento no mundo: 7100 vítimas em 2015

O extremismo islâmico constitui ainda a principal origem das perseguições, fatos constatado em 35 dos 50 países da lista - AFP

13/01/2016 18:17

Roma (RV) – A organização “Portas Abertas” divulgou nesta quarta-feira, 13, a “World Watch List 2016”, a nova lista dos primeiros 50 países onde os cristãos são mais perseguidos no mundo. Um dos primeiros dados que emerge do relatório é que a perseguição anticristã no mundo teve um aumento de 2,6 pontos. Em 2015 foram mortos 7.100 cristãos devido à sua fé (4.344 em 2014) e atacadas mais de 2.400 igrejas (1.062 em 2014).

Extremismo islâmico

O extremismo islâmico constitui ainda a principal origem das perseguições, fatos constatado em 35 dos 50 países da lista. Como origem de perseguições estão em forte aumento o nacionalismo religioso, como observado na Índia, que passou a ocupar a 17ª colocação na lista e a “paranoia ditatorial”, observada na Eritreia (3º lugar) e na Coreia do Norte, encabeçando a lista pelo 14º ano.

Países africanos

Os países africanos continuam a “ganhar colocações” na lista: 16 países da World Watch List são africanos, dos quais 7 figuram entre os dez primeiros. Em termos numéricos e de intensidade, a perseguição contra os cristãos nesta região chega a ofuscar até mesmo os fatos ocorridos no Oriente Médio.

Limpeza étnica

Assistimos a um êxodo de cristãos nunca visto antes e mesmo que seja de domínio público o que acontece neste sentido no Oriente Médio, muito menos conhecida, é, pelo contrário, a sorte de milhares de cristãos nigerianos, obrigados a fugir de 12 Estados do norte da Nigéria ou da zona central do país por causa das violências perpetradas pelo grupo Hausa-Fulani. Nesta região, a exemplo do que ocorre na Síria, Iraque, Sudão, Somália e nordeste do Quênia, a perseguição assume forma de “limpeza étnica”.

Os novos países a fazer parte da  “World Watch List são o Bahrein e Níger. (JE)

13/01/2016 18:17