Ler o artigo Acessar menu principal

Redes Sociais:

RSS:

Rádio Vaticano

A voz do Papa e da Igreja em diálogo com o mundo

outras línguas:

Artigos \ Bispos

A torcida da paz

A promoção e a conquista da paz são determinadas pela competência humanística e espiritual de aproximar-se do outro, particularmente dos mais pobres. Assim supera-se a indiferença. - AFP

30/05/2015 17:29

Belo Horizonte (RV) - A Igreja Católica na Arquidiocese de Belo Horizonte promove, no último domingo de maio, a 15ª edição da Torcida de Deus, no Estádio do Mineirão. São 40 anos desse importante evento que põe em foco, no centro, o Mistério da Eucaristia, fonte inesgotável e insubstituível do amor, Jesus Cristo, o Salvador. A lição celebrada, professada e testemunhada é o mistério da paixão, morte e ressurreição de Jesus, por sua oferta redentora na Cruz. Esse ensinamento reforça a convicção de que o resgate verdadeiro e perene de nossa humanidade se alcança pelo amor. Um estádio, palco de partidas de futebol, ambiente marcado pela emoção de torcedores diversos, apaixonados por seus times, congrega num coração só a grande Torcida de Deus, os que investem no amor, buscam construir a paz. Trata-se de uma união essencial, que precisa encorpar-se sempre mais, particularmente para ser contraponto aos crescentes cenários de violência, de todo tipo.

A 15ª Torcida de Deus se reveste de uma significação ainda mais relevante. A Igreja Católica no Brasil, liderada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), desde o início do Tempo do Advento, no ano passado - preparação para o Natal do Senhor - investe na promoção do Ano da Paz. A promoção da paz tem uma fonte certa e insubstituível: o amor de Deus. Participar da Torcida de Deus é comprometer-se com esse amor sem medidas. É caminhar na direção da paz, tornando-se instrumento de sua conquista. A tarefa de cada “torcedor de Deus” é cultivar o próprio coração como coração da paz.

No amplo e continental horizonte da Igreja Católica, presente em todo o Brasil, a Torcida de Deus, realizada em Minas Gerais, ultrapassa o sentido de um evento local. As redes sociais, rádios e TVs de inspiração católica, os meios de comunicação diversos estarão na mesma sintonia, fazendo chegar ao coração de todos os brasileiros tudo o que acontece no Mineirão, lugar onde estará o altar de Cristo. Esse evento de grande magnitude, na simplicidade da fé convicta de todos os participantes, indica que a Igreja inteira, de todos os recantos do Brasil, de alguma maneira, está convidada à comunhão para fazer ecoar forte o grito da torcida pela paz. Um testemunho público de fé, fortalecido pela beleza singular desse momento especial, para que a sociedade avance um pouco mais na convicção e no seu comprometimento com a promoção da paz. Todos são convidados a fazer ecoar o grito da Torcida de Deus. Assim é possível cultivar a certeza de que as mudanças são possíveis quando a sociedade investe na paz. Nesse caminho, a mídia tem grande e determinante responsabilidade, em razão de sua força educativa, que forma opiniões. A Torcida de Deus merece ser apresentada como oportunidade singular nesta árdua tarefa cidadã de se buscar a paz.

Trata-se de caminho longo, que demanda muitos gestos concretos para superar graves quadros. A violência custa bilhões aos cofres públicos, a corrupção distancia a sociedade dos trilhos da justiça e da honestidade. A promoção da paz inclui o desafio de atacar, sistemicamente, as muitas causas alimentadoras da crescente violência no Brasil. Entre as mais graves, não se pode descartar ou tratar superficialmente o seríssimo e vergonhoso cenário da exclusão social. As mudanças até então promovidas com os programas sociais - ainda não emancipatórios, mas de caráter compensatório - não estão fazendo diferença na superação da violência.

Frentes governamentais e da sociedade organizada precisam encontrar respostas mais incidentes. Trata-se de um desafio enorme em razão da inércia de inteligências e da incapacidade de lideranças, formadores de opinião e construtores da sociedade pluralista. A promoção e a conquista da paz são determinadas pela competência humanística e espiritual de aproximar-se do outro, particularmente dos mais pobres. Assim supera-se a indiferença. O segredo maior e a eficácia mais pertinente vem da competência adquirida com o exercício de fixar o olhar n’Ele, Cristo, fonte do amor, caminho para a paz. Participe da Torcida de Deus, no Mineirão, na sua casa, de longe ou de perto, pelos meios de comunicação e redes sociais. Vamos juntos torcer pela paz.

Dom Walmor Oliveira de Azevedo

Arcebispo metropolitano de Belo Horizonte

30/05/2015 17:29